Exportações baianas têm queda de 4,9% em setembro

A Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), informou que as exportações baianas alcançaram US$ 728,7 milhões em setembro, o que representa um recuo de 4,9% na comparação com igual mês de 2017.

Apesar de ser o terceiro maior resultado do ano, os dados continuam mostrando uma desaceleração nos embarques desde julho, após a greve dos caminhoneiros. Já as importações cresceram pelo terceiro mês consecutivo, alcançando em setembro US$ 714,1 milhões, 34,9% acima do mesmo mês do ano passado.

A queda nas exportações é motivada pela redução do volume embarcado, que no bimestre agosto/setembro apresentou redução de 11,2% em relação ao mesmo período em 2017, que tem como motivação a intensificação da crise argentina sobre as vendas de veículos, a redução nas vendas de algodão, celulose e cobre para a China.

A crise no país vizinho e as disputas comerciais com os EUA já apresentam dificuldades de crescimento de manufaturados baianos ao exterior nos últimos meses.

As importações em setembro foram puxadas pelas compras de combustíveis, que subiram 214,6% sobre o mesmo mês do ano anterior, principalmente pela compra de gás e nafta. Também cresceram as importações de bens intermediários em 37%.

O crescimento das compras externas pelo terceiro mês consecutivo, já permite traçar uma tendência de recuperação e pode ser um indicativo de retomada da atividade econômica local e um alinhamento ao que já ocorre em âmbito nacional.

por Metro1

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*