Feira de Santana: Veículo cai em canal e provoca alagamento em rua e casas

Cerca de 30 residências foram fortemente invadidas pelas águas de um córrego, situado na Rua Teixeira Soares, no loteamento Monte Pascoal, bairro Calumbi, em Feira de Santana. Os imóveis ficaram ilhados e os moradores das casas perderam praticamente todos os móveis.

De acordo com o morador do bairro, Adson Conceição, a tragédia aconteceu, após um carro abandonado, que caiu dentro do córrego, ser arrastado pelas águas até a rua, provocando o alagamento do local.

“Esse carro foi abandonado no último domingo, na Rua Menino Jesus. Os moradores acionaram as Polícias Civil e Militar, que constataram que o carro estava regular e não poderiam fazer nada. O proprietário tentou remover o veículo, que estava prestes a cair dentro do canal, com uma caçamba, mas ele acabou caindo. Com a chuva de hoje, a enxurrada o arrastou e ele veio parar na Rua Teixeira Soares”, informou o morador ao Acorda Cidade.

Adson Conceição disse que com a presença do carro, o canal começou a transbordar e muita lama e sujeira invadiu as residências. “Ontem a gente se reuniu com medo da chuva e contratou uma empresa pra tirar. Pagamos R$ 350 do guincho, e agora estamos preocupados com os prejuízos dos moradores, tem gente que não sabe onde vai dormir. Teve residência que os moradores perderam 100% dos móveis.”

Ainda segundo ele, a rua fica ilhada toda vez que chove. “Tem que ter uma fiscalização. O canal é aberto e corre lixo da cidade toda. Esse canal corta o bairro todo e o lixo sempre vem parar na Teixeira Soares.”

A dona de casa Maria Lúcia Sena Silva perdeu quase todos os móveis. Só sobraram um armário e uma geladeira. “O prejuízo dá mais de 10 mil reais. Vou dormir na casa de minhas irmãs. A água acabou com tudo. Os móveis não servem mais pra nada. Vou acionar o órgão público pra vir nos auxiliar com alguma coisa”.

Outra moradora, Rosângela Rodrigues da Silva afirmou ao Acorda Cidade que a primeira casa a ser invadida pela lama foi a dela. “Perdi tudo, computador, geladeira, cama, guarda-roupa. Nem sei o valor do prejuízo. Eu moro há 13 anos aqui. Eu estava com uma criança de três anos, que tomo conta, e se eu fosse tentar salvar alguma coisa, o menino morria, então corri pra cima do sofá”, contou.

Leidiane Portugal Santana declarou que estava no trabalho, quando recebeu uma ligação e correu para tentar salvar alguma coisa da casa da sogra. “Estamos tirando a lama. Fui surpreendida, estava no trabalho, quando recebi uma ligação, peguei um motoboy e vim. Não deu tempo de salvar nada, pois a água entrou com tudo. Aqui é a casa da minha sogra, eu moro na casa de cima. Ela perdeu tudo”.

O engenheiro da Defesa Civil, Antônio do Rosário, disse, em entrevista ao Acorda Cidade, que o órgão está fazendo o levantamento da quantidade de casas prejudicadas, das famílias, e tudo o que perderam.

“A partir daí vamos tentar articular a limpeza do canal o mais rápido possível junto com outros órgãos da prefeitura. Infelizmente, vamos aconselhar que eles procurem as casas dos parentes. Os casos mais extremos vamos tentar junto com a secretaria a possibilidade de entrega de colchão ou donativos, visto que nós da Defesa Civil não temos essa quantidade de material. Soubemos que desde segunda-feira o carro estava dentro do canal, mas só fomos acionados hoje à tarde. Há muito tempo a gente não vê uma tragédia desse tipo aqui em Feira de Santana”, revelou.

por Acorda Cidade

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*