Enem terá novas regras a partir de 21 de março

Neste ano, o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) completa 20 anos de existência. O edital com todas as informações para as provas deste ano será publicado no no Diário Oficial da União no dia 21 de março — e promete modificações.

Na ocasião, o ministro da educação, Mendonça Filho, disse que as novidades são para ampliar o leque de inovações e melhorias na aplicação do Enem, que é um “patrimônio nacional”. Apesar do anúncio, as mudanças ainda não foram divulgadas e será preciso esperar até o dia do lançamento do edital para conhecê-las.

No ano passado, o exame já sofreu diversas alterações na aplicação das provas, datas e na certificação do Ensino Médio. Assim como em 2017, as provas também serão realizadas em dois finais de semana diferentes (4 e 11 de novembro).

No primeiro dia, os estudantes farão provas de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias, Redação e Ciências Humanas e suas Tecnologias. No segundo domingo, as disciplinas exigidas serão Matemática e suas Tecnologias e Ciências da Natureza e suas Tecnologias. No primeiro domingo, por causa da redação, a duração da prova será de cinco horas e 30 minutos, e, no segundo, de quatro horas e 30 minutos. Pessoas com deficiência têm direito a um tempo adicional.

Também foram realizadas mudanças para tornar o exame mais seguro. Desde o ano passado, os cadernos de questões e cartões-resposta possuem o nome e o número de inscrição do candidato. Antes, era necessário fazer a identificação manualmente. Com isso, se garante uma maior segurança nas informações dos estudantes.

Outra medida foi exigir que os candidatos que precisem de isenção na taxa de inscrição comprovem a situação em vez de só se declararem de baixa renda. Estudantes de escolas públicas ganham isenção automática, já os demais precisam estar cadastrados no CadÚnico e informar o número de identificação social (NIS).

Por último, a certificação do Ensino Médio. Até 2016, candidatos maiores de 18 anos poderiam realizar o Enem para obter a certificação de conclusão do Ensino Médio. Para tanto, era necessário tirar uma pontuação mínima. A partir de 2017, quem desejar tirar o certificado precisará fazer o Exame Nacional de Certificação de Jovens e Adultos (Encceja)

Fonte: Agencia Brasil

Deixe seu comentário

comentários

Leave a Comment