Agências da Caixa abrem 2 horas mais cedo para saques do FGTS

Nesta segunda e terça-feira, todas as unidades da Caixa Econômica irão adiantar atendimentos sobre contas inativas do Fundo.

As agências da Caixa Econômica Federal irão abrir duas horas mais cedo nesta segunda-feira (13). O saque das contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) começou na sexta e já registrou filas. Em todo o país, têm direito a retirar o dinheiro neste mês 4,8 milhões de beneficiários. Na sexta-feira, 3,3 milhões de pessoas receberam R$ 3,8 bilhões do FGTS.

Segundo o presidente da Caixa, Gilberto Occhi, dependendo da região do país, há diferença no horário de abertura das agências – vai de 9h às 11h da manhã. Independente disso, portanto, elas vão abrir duas horas antes, apenas para tirar dúvidas e saque do FGTS.

As pessoas poderão retirar o dinheiro de acordo com um calendário (veja abaixo). No primeiro lote, que abriu nesta sexta-feira e vai até 10 de abril, apenas pessoas nascidas em janeiro e fevereiro poderão sacar.

O que é uma conta inativa?

Uma conta inativa de FGTS é aquela que deixou de receber os repasses de uma empresa, porque o trabalhador, titular dessa conta, deixou o emprego. Mas não são todas as contas inativas que poderão ter os recursos sacados.

Segundo o governo, o trabalhador poderá retirar o dinheiro apenas daquelas contas do FGTS que se tornaram inativas até 31 de dezembro de 2015, ou seja, contas vinculadas a empregos dos quais a pessoa se desligou até essa data.

Sem o Cartão Cidadão: o trabalhador poderá sacar o dinheiro nos caixas eletrônicos da Caixa, sem o Cartão Cidadão, caso o saldo de cada conta inativa seja de até R$ 1.500. Para isso, ele só precisa ter a senha do Cartão Cidadão.

Com o Cartão Cidadão: o limite de saque, no Caixa Eletrônico, é de R$ 3 mil por conta inativa.

Lotéricas e correspondentes Caixa Aqui: os saques podem ser feitos com o Cartão Cidadão para valores de até R$ 3 mil por conta inativa.

Saques acima de R$ 3 mil e até R$ 10 mil: o trabalhador só precisa apresentar, na agência da Caixa, a carteira de identidade para fazer o saque ou a transferência para conta de outro banco, sem custo.

Saques acima de R$ 10 mil: além da identidade, será preciso apresentar a carteira de trabalho ou o termo de rescisão de contrato de trabalho vinculado à conta inativa.

Contas que aparecem ativas: se o trabalhador tem uma conta de FGTS vinculada a um emprego do qual se desligou até 31 de dezembro de 2015, mas que ainda aparece como “ativa”, terá que comprovar o fim do vinculo através da carteira de trabalho ou rescisão do contrato de trabalho.

Quem não tiver a carteira de trabalho, informou o presidente da Caixa, terá que providenciar uma cópia do termo de rescisão do contrato de trabalho vinculado à conta inativa, e levá-la no momento do saque.

Correntistas

A Caixa Econômica informou ainda que todos os trabalhadores que possuem conta poupança individual na Caixa terão o saldo creditado automaticamente no primeiro dia do calendário referente ao seu mês de nascimento.

Caso o trabalhador tenha conta corrente ou poupança conjunta ele terá que autorizar o crédito no portal da Caixa (www.caixa.gov.br/contasinativas) ou pelo telefone 0800 726 2017.

Estímulo à economia

A liberação do saldo das contas inativas foi anunciada em dezembro pelo presidente Michel Temer. O objetivo do governo é que essa medida ajude a reaquecer a economia brasileira, que vem de dois anos seguidos de recessão.

A estimativa é que R$ 34 bilhões sejam sacados das contas inativas de FGTS. Para a equipe econômica, esse montante não prejudica a saúde financeira do FGTS, que tem hoje um patrimônio líquido estimado em R$ 130 bilhões.

A estimativa do governo é que 30,2 milhões de brasileiros têm contas inativas do FGTS – a estimativa inicial era de 10 milhões. Dos 30,2 milhões, cerca de 10 milhões têm conta corrente na Caixa.

O governo também reviu a estimativa para o saldo das contas inativas – de R$ 41 bilhões para R$ 43,6 bilhões. A expectativa para o total de recursos a serem sacados, que era de R$ 30 bilhões, é agora de R$ 34 bilhões.

Problemas para saque

Alguns trabalhadores não conseguiram sacar o dinheiro em suas contas inativas devido a um bloqueio feito pela Caixa.

O superintendente regional do Caixa, Sérgio Cançado, disse ao G1 que o saldo de algumas contas apareceu como “bloqueado” ou sem saldo nesta sexta-feira por motivos de segurança, porque o banco detectou divergências ou informações imprecisas na base de dados destes trabalhadores. Ele participou de um programa ao vivo nesta sexta-feira (10) para tirar dúvidas dos leitores.

Cançado explicou que isso pode ter acontecido, principalmente, por inconsistências ou erros de digitação no cadastro, como o nome do trabalhador ou de sua mãe. Outra hipótese é que a empresa tenha fornecido informações divergentes sobre a conta e, mesmo com um trabalho prévio do banco para corrigir o problema, ele pode ter permanecido em alguns casos.

Segundo a Caixa, trabalhadores que tiveram este problema devem ir pessoalmente a uma agência do banco para solucionar a questão e liberar o saldo em suas contas. Ao contrário do que foi dito pelo banco na sexta pela manhã, a Caixa não iria reprocessar os casos na noite do mesmo dia. (G1)

No Acre, clientes fazem fila nas agências da Caixa Econômica neste sábado (Foto: Iryá Rodrigues/G1)

Leave a Comment