“Jaqueline passou por isso e está me dando apoio”, diz Murilo sobre doping

Mulher do jogador, bicampeã olímpica passou por um problema parecido em 2007, às vésperas do Pan do Rio: “Ela está preocupada comigo”

Flagrado na amostra A do exame antidoping realizado no dia 4 de maio, Murilo diz estar tranquilo em relação a uma possível punição. A esposa Jaqueline, que já passou por uma situação parecida quando também foi pega, em 2007, tem sido fundamental neste processo. Ao se pronunciar pela primeira vez sobre o assunto, nesta terça-feira, o jogador do Sesi-SP falou sobre o apoio que tem recebido da bicampeã olímpica e lembrou que ela conseguiu dar a volta por cima.

– No caso da Jaque, na época foi muito difícil, acabou sendo uma contaminação, mas o choque foi muito grande para ela, estava às vésperas do Pan do Rio Tudo se resolveu, o tempo ajuda bastante, já se passaram dez anos. Continuou defendendo seleção e clubes, passou por isso e está me dando todo apoio, está preocupada comigo – disse Murilo, casado com a jogadora há cinco anos.

Na ocasião, Jaqueline foi pega na substância sibutramina, encontrada em moderadores de apetite. Ela foi suspensa por nove meses, perdeu os Jogos Pan-Americanos, mas pôde voltar para a Olimpíada de Pequim, na qual conquistou o ouro.

Com a seleção brasileira masculina de vôlei, Murilo conquistou as medalhas de prata nas Olimpíadas de Pequim 2008 e Londres 2012, além de ter sido eleito o melhor jogador do Mundial de 2010. Ele foi cortado dos Jogos Olímipicos de 2016, no Rio de Janeiro, por opção do técnico Bernardinho.

Murilo disse que conversou com os pais antes do caso vazar para a imprensa. Segundo o jogador, a família deu total apoio:

– Tive a sorte de ir para Passo Fundo, e foi bom para eu poder conversar com meus pais sobre isso e alertá-los sobre isso, que tinha dado positivo no exame antidping. Eles me deram total apoio, me conhecem muito bem – disse.

Quanto a Gustavo, seu irmão mais velho, campeão olímpico com a seleção em Atenas 2004 e presente na medalha de prata de Pequim 2008 ao lado do próprio Murilo, o ponteiro diz que ainda não conseguiu conversar.

– A gente não se falou, ele talvez não queira me fazer falar sobre isso. Muitos atletas me mandaram mensagem ,dando apoio, isso me deixou muito feliz e ainda mais tranquilo. Ter apoio dos companheiros de tantas batalhas nisso é muito bom. Todos sabem que eu não faria isso – disse Murilo.

Todos os atletas fazem dois exames. O primeiro é aberto e, após o resultado, pode-se pedir a amostra B, que é a contraprova. A contraprova deve ser divulgada dentro de 15 dias. Até o momento, sem essa amostra B, Murilo ainda não está suspenso pois a violação só é confirmada depois da contraprova. (Globo Esporte)

Murilo e Jaqueline estão casados há cinco anos (Foto: Silas Pereira/GloboEsporte.com)

Leave a Comment