Polícia faz operação na Maré em busca do chefe do tráfico da Rocinha, o Rogério 157

Mais de 14 mil alunos estão sem aulas. Uma pessoa foi presa, uma arma apreendida e uma fábrica de bebidas clandestina desmantelada.

A polícia faz uma operação no Conjunto de favelas da Maré, na Zona Norte do Rio, na manhã desta quinta-feira (28), em busca de Rogério Avelino da Silva, o Rogério 157, chefe do tráfico da comunidade da Rocinha, na Zona Sul do Rio. A polícia está investigando se o traficante deixou a comunidade da Rocinha e teria buscado refúgio na Maré. Rogério 157 é um dos pivôs dos confrontos que têm ocorrido na comunidade da Zona Sul há mais de uma semana. Até as 9h, uma pessoa havia sido presa, uma pistola apreendida e uma fábrica de bebidas clandestina desmantelada.

Há registro de troca de tiros na região, mas ainda não há informações sobre feridos ou apreensões. Cerca de 60 policiais atuam na região tentando confirmar a informação. O complexo de favelas da Maré possui mais de uma facção criminosa.

Por causa da ação, mais de 14 mil alunos estão fora de sala nesta quinta. De acordo com a Secretaria Municipal de Educação, são 19 escolas, 6 creches e 12 EDIs e fechados.

A ação é um desdobramento do cerco que é feito há mais de uma semana na comunidade da Rocinha. Na manhã desta quinta, atuam no complexo de favelas policias do Batalhão da Maré, do Batalhão de Choque, do Batalhão de Ação com Cães e do Batalhão de Operações Especiais (Bope). Os policiais atuam no Parque União e na Favela Nova Holanda.

O espaço aéreo do conjunto de favelas está bloqueado por um raio de 14 quilômetros e apenas aeronaves envolvidas na ação podem circular na região.

Na terça-feira (26) houve outro tiroteio na comunidade, deixando crianças sem aulas. Em função da troca de tiros,. muitas crianças tiveram que se abaixar para se proteger dos tiros.

O juiz Alexandre Abrahão Dias Teixeira, do 3º Tribunal do Júri da Capital, decretou nesta quarta-feira (27) a prisão preventiva de Rogério Avelino da Silva, conhecido como Rogério 157, um dos pivôs da guerra do tráfico na Rocinha. O criminoso já estava foragido e o Disque Denúncia oferece recompensa de R$ 50 mil por informações que levam à prisão.

Segundo a Justiça, ele e outros quatro criminosos, incluindo Ivan da Silva Martins, o Ivanzinho, que mais novo atuou no filme “Cidade de Deus”, atiraram contra 11 policiais militares em 23 de julho no Vidigal. No tiroteio, o PM Hudson Silva de Araújo morreu.

Desde sexta-feira (22), tropas militares atuam na Rocinha para reforçar a segurança na região. Rogério 157 era um dos principais aliados de Antônio Bonfim Lopes, o Nem, o antigo chefe do tráfico na favela da Rocinha. Atualmente, eles são inimigos e começaram uma disputa pelo poder no morro.

Disputa do tráfico

Segundo as investigações policiais, os ataques à Rocinha tem como principal mandante o traficante Nem, preso na Penitenciária Federal de Porto Velho, em Rondônia.

Atualmente a Rocinha é dominada pelo traficante Rogério Avelino da Silva, conhecido como Rogério 157, um dos presos pela invasão ao Hotel Intercontinental, em São Conrado, em 2010, e libertado em janeiro de 2012 por uma decisão da justiça.

Os confrontos atuais se deram por um racha na aliança entre os traficantes Nem e Rogério 157. A briga começou com a morte de Ítalo de Jesus Campos, conhecido como Perninha, a mando de Rogério 157, em agosto passado. O bandido também havia sido preso em 2010 pela invasão ao hotel. Foi solto pela mesma decisão judicial que beneficiou Rogério 157 em 2012. (G1)

Arte Rocinha (Foto: Editoria de Arte/G1)

 

Leave a Comment