Protagonista, Fábio manda recado a Tite: “Se precisar de goleiro, pode chamar!”

Goleiro do Cruzeiro brilha de novo na Copa do Brasil, prova que vive um grande momento e analisa, sobre Seleção: “A gente tem que parar com essa coisa de idade, tem que ir quem está bem”

É inegável: o goleiro Fábio, do Cruzeiro, vive mais uma de suas grandes fases técnicas na carreira. E provou isso mais uma vez nessa quarta-feira, quando foi herói na final da Copa do Brasil, contra o Flamengo, defendendo o pênalti de Diego e dando a vantagem à Raposa na disputa de penalidades. Após a partida, Fábio foi um dos mais assediados pela imprensa. Entre os assuntos, a Seleção.

A Copa do Mundo da Rússia está batendo à porta, e a grande questão é: por que Fábio não é lembrado? A resposta só pode ser dada por Tite – e pelos treinadores antecessores -, mas o ídolo celeste dá um recado: a idade – 36 anos – não é problema.

– Acho que a gente tem que parar com essa coisa de idade. “Não pode ir para essa (Copa do Mundo), não pode ir na outra”. Tem que ir quem está bem. O Tite vem fazendo um ótimo trabalho. Respeito muito. Mas se precisar de goleiro, pode me chamar.

O pênalti defendido por Fábio foi o 21º dele com a camisa do Cruzeiro (reveja os melhores momentos do jogo e as cobranças no vídeo abaixo). E a lista tem adversários de peso. O goleiro já pegou pênalti de Nilmar, Ronaldo, Luís Fabiano, Ronaldinho, Fred, Luan, entre outros jogadores de renome. A lista aumentou nessa quarta, com a defesa na cobrança de Diego. Fábio comemora.

– É sempre bom defender, independentemente do nome. Defendi (pênaltis de) grandes jogadores, e foram momentos importantes na minha carreira, que vão ser importantes quando encerrar minha carreira. Momentos ímpares que vivi.

Para quem duvidava…

A trajetória recente do goleiro teve um momento muito marcante. Em agosto de 2016, Fábio sofreu uma lesão seríssima – ruptura de ligamento cruzado do joelho – e ficou parado por um longo período. Se recuperou no início deste ano e voltou a jogar em abril. Nesse meio tempo, Rafael, o goleiro reserva, foi muito bem. Mostrou que está preparado para assumir a meta cruzeirense e deu muita segurança ao time.

Parte da torcida, naquele momento, pedia a permanência de Rafael no time titular. Aos poucos, porém, Fábio recuperou a titularidade e segue mostrando por que não pode sair do time.

– Me fortaleci, neste período que eu me lesionei, cada vez mais. A lesão te traz coisas positivas, pude ver se era isso que eu queria, jogar mais tempo. Desde 2010 fazia trabalho para jogar mais. Infelizmente, no Brasil, não somos valorizados igual lá fora. Jogadores lá fora que jogam muito tempo em uma equipe são valorizados. Eles não deixam o que passou desvalorizar. Infelizmente, no Brasil, vivem só de momento. Muitas pessoas falaram que não tinha como eu voltar em alto nível, voltar a ser titular. Respeitei o Rafael sempre. Cresci junto com ele, é meu companheiro de quarto, meu amigo fora de campo. Minhas crianças amam ele. Ele bajula elas, tudo que eles pedem, ele faz. É uma pessoa exemplar. Colheu os frutos do trabalho dele. Em campo, eu só quis me dedicar para voltar em alto nível. Nunca imaginei que seria dessa forma. Deus vai determinar o dia que eu vou parar. (G1)

Fábio defendeu a cobrança de Diego e garantiu o pentacampeonato do Cruzeiro na Copa do Brasil (Foto: Agência I7)

Leave a Comment